A relativização da coisa julgada no direito previdenciário

  • João Alves Dias Filho
  • Pedro Lucas Crispim Rodrigues

Resumo

O intuito neste presente trabalho foi buscar os elementos que gravitam primeiro em torno da relativização da coisa julgada, para, em seguida, encaixá-lo na seara do Direito Previdenciário. Assim, nessas condições, buscou-se enfrentar os principais pontos discutidos em torno desses institutos, em razão de sua grande incidência na prática jurídica dos operadores do Direito.

Biografia do Autor

João Alves Dias Filho

Professor (UNIFIL). Especialista em Direito Aplicado (EMAP). Pós-graduado em Direito Empresarial (UEL). Pós-graduado em Direito Previdenciário (UEL). Advogado.

Pedro Lucas Crispim Rodrigues

Bacharel em Direito pelo Centro Universitário Filadélfia — UNIFIL. Pós-graduando em Direito Civil, Processo Civil e Consumidor pelo IDCC — Instituto de Direito Constitucional e Cidadania.

Publicado
2018-11-12
Como Citar
DIAS FILHO, João Alves; RODRIGUES, Pedro Lucas Crispim. A relativização da coisa julgada no direito previdenciário. Revista Jurídica da UniFil, [S.l.], v. 11, n. 11, nov. 2018. ISSN 2674-7251. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/rev-juridica/article/view/720>. Acesso em: 04 mar. 2021.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##