Análise química do leite materno

  • Jucimara Lopes Marques Dorabiato Faculdade de Apucarana – FAP
  • Ana Helena Gomes Andrade Faculdade de Apucarana – FAP
  • Eduardo Amaral de Toledo Faculdade de Apucarana – FAP

Resumo

O aleitamento materno é fundamental para sobrevivência do recém-nascido, logo, um direito congênito, que auxilia a reduzir de forma significativa o risco de desnutrição, anemia, alergias, obesidade, entre outros. O objetivo deste trabalho foi determinar as proteínas totais presentes no leite materno, tanto no colostro quanto no leite maduro através de métodos químicos específicos. As amostras foram fornecidas por cinco mais diferentes. E as amostras correspondiam ao 3 dia de lactação, 2º, 3º, 4º e 7º mês de lactação. Os valores obtidos foram de 1,90g/dL no colostro, e 0,86g/dL no leite maduro. Conclui-se que os valores totais de proteína estão de acordo com a literatura. De maneira geral a composição do leite humano varia entre as mães, no decorrer do dia e inclusive em uma mesma mamada. Porém a fração mais estável é a proteica.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Acadêmica do Curso de Nutrição. Departamento de Nutrição Faculdade de Apucarana – FAP. dorabiatojucimara@gmail.com.

##submission.authorWithAffiliation##

Docentes da FAP. Departamento de Nutrição Faculdade de Apucarana – FAP. eduardo@slpart.com.br; aninhazinha_h6@hotmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Docentes da FAP. Departamento de Nutrição Faculdade de Apucarana – FAP. eduardo@slpart.com.br; aninhazinha_h6@hotmail.com.

Publicado
2018-06-18
Como Citar
DORABIATO, Jucimara Lopes Marques; ANDRADE, Ana Helena Gomes; DE TOLEDO, Eduardo Amaral. Análise química do leite materno. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 32, n. 63, p. 31-34, jun. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/58>. Acesso em: 12 ago. 2022.
Seção
Artigos