Abordagem diagnóstica e terapêutica da fibroadenomatose mamária felina – revisão de literatura

  • Natália Arrais Oliveira
  • Laura Fernanda Borba de Souza Condota

Resumo

A hiperplasia mamária felina se trata de uma enfermidade causada por altos níveis de progesterona no organismo, acometendo mais frequentemente as fêmeas, apesar de também poder ocorrer em machos. Geralmente, essa condição acontece quando o paciente faz uso de progestágenos sintéticos para controle de cio ou até tratamento com progesterona para problemas dermatológicos. Assim, o diagnóstico ocorre pelos sinais clínicos apresentados, histórico e exame físico completo. Ainda, pode-se realizar biópsia excisional, porém é um pouco mais específica. Com isso, o tratamento baseia-se em uso de medicamento antagonista da progesterona, como o aglepristone e ovariohisterectomia, principalmente. Nestes casos, o prognóstico é bom, entretanto, caso o animal tenha sinais sistêmicos relevantes, o mesmo é ruim.

Biografia do Autor

Natália Arrais Oliveira

Discente do curso de Medicina Veterinária pelo Centro Universitário Filadélfia – UniFil.  E-mail: nataliarrais@hotmail.com

Laura Fernanda Borba de Souza Condota

Docente do curso de Medicina Veterinária pelo Centro Universitário Filadélfia – UniFil.

Publicado
2019-03-19
Como Citar
OLIVEIRA, Natália Arrais; CONDOTA, Laura Fernanda Borba de Souza. Abordagem diagnóstica e terapêutica da fibroadenomatose mamária felina – revisão de literatura. Ciência Veterinária UniFil, [S.l.], v. 1, n. 3, p. 138-153, mar. 2019. ISSN 2595-7791. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/revista-vet/article/view/991>. Acesso em: 02 jul. 2020.
Seção
Artigos