Produção in vitro de embriões bovinos: etapas de produção e histórico no Brasil

  • Natielly Sampaio de Souza
  • Cristiane Caroline Abade

Resumo

No decorrer dos anos, os avanços obtidos na produção in vitro de embriões proporcionou eficiência no melhoramento genético dos rebanhos. A inovação da biotecnologia no mercado comercial agropecuário, possibilitou que uma única fêmea de alto valor zootécnico ou casos de fêmeas inaptas à reprodução, produzisse vários descendentes ao longo de sua vida reprodutiva diminuindo os intervalos entre as gerações.  O processo da produção in vitro de embriões envolve etapas que incluem a obtenção dos oócitos, maturação, fecundação e o cultivo. O Brasil continua liderando e sendo referência para a técnica, mas ainda existe alguns entraves que estão relacionados ao elevado custo de produção especialmente pela necessidade de uma infraestrutura laboratorial e pela variabilidade entre os resultados obtidos, entre outros desafios. O que justifica o enfoque da biotecnologia é a importância de ressaltar que o Brasil possui liderança do melhoramento genético rápido favorecendo o lucro para as indústrias de carne e leite. A comercialização dos embriões in vitro em grande escala favorece custos viáveis e benefícios que tornam a técnica acessível, sendo de grande importância a compreensão dos requisitos que essa produção tem a nos oferecer. Portanto, o objetivo desta revisão é realizar uma retrospectiva das principais etapas da produção in vitro de embriões bovinos mostrando os benefícios que a técnica possui e os desafios que a mesma enfrenta.

Biografia do Autor

Natielly Sampaio de Souza

Discente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Filadélfia – UniFil.

Cristiane Caroline Abade

Docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Filadélfia – UniFil.

Publicado
2019-03-19
Como Citar
SOUZA, Natielly Sampaio de; ABADE, Cristiane Caroline. Produção in vitro de embriões bovinos: etapas de produção e histórico no Brasil. Ciência Veterinária UniFil, [S.l.], v. 1, n. 3, p. 95-108, mar. 2019. ISSN 2595-7791. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/revista-vet/article/view/988>. Acesso em: 02 jul. 2020.
Seção
Artigos