Abordagem diagnóstica e terapêutica de insulinoma em cães

  • Julia Viana de Oliveira
  • Fabiane Aparecida Sabino

Resumo

Insulinomas são neoplasias raras das células beta do pâncreas em cães. Secretam insulina de forma exagerada, desencadeando hipoglicemia e consequentemente sinais clínicos como fraqueza, colapso e convulsões. Devido aos sinais inespecíficos, o diagnóstico é complicado e muitas vezes demorado, aumentando a possibilidade de presença de metástase no momento do diagnóstico. Por meio da dosagem de glicemia e insulinemia e de exames de imagem é possível estabelecer a suspeita diagnóstica de insulinoma, entretanto, na maioria dos casos o diagnóstico só é confirmado após o procedimento cirúrgico e com o exame histopatológico. Alterações na dieta são essenciais para diminuir os riscos de crises hipoglicêmicas, assim como evitar exercícios em excesso. O tratamento médico consiste na utilização de glicocorticoides, diazóxido, octreotida e quimioterapia. O tratamento cirúrgico é considerado o de eleição, a técnica utilizada é a pancreatectomia parcial, entretanto, em muitos casos é feita somente a terapia sintomática. O tratamento medicamentoso pode ser associado ao cirúrgico, dessa forma o prognóstico tende a ser melhor.

Biografia do Autor

Julia Viana de Oliveira

Discente do curso de Medicina Veterinária pelo Centro Universitário Filadélfia – UniFil. E-mail: juu.viana@hotmail.com

Fabiane Aparecida Sabino

Docente do curso de Medicina Veterinária pelo Centro Universitário Filadélfia – UniFil

Publicado
2019-03-19
Como Citar
OLIVEIRA, Julia Viana de; SABINO, Fabiane Aparecida. Abordagem diagnóstica e terapêutica de insulinoma em cães. Ciência Veterinária UniFil, [S.l.], v. 1, n. 3, p. 79-94, mar. 2019. ISSN 2595-7791. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/revista-vet/article/view/987>. Acesso em: 02 jul. 2020.
Seção
Artigos