Depresão durante a gravidez: riscos e benefícios do tratamento farmacológico

  • Érica Caroline de Santis
  • Jisele Naomi Kaneko
  • Fabiane Yuri Yamacita Borin
  • Lenita Brunetto Bruniera

Resumo

A escolha de iniciar, interromper ou alterar tratamentos psicofarmacológicos na gravidez deve ser tomada após criteriosa avaliação do risco versus benefício. É preciso ter em mente que nenhuma decisão será plenamente segura. Entretanto, o não tratamento de um transtorno depressivo moderado à grave, durante o período gestacional, implica risco para a gestante e seu concepto. Por não haver escolha livre de risco, o dilema é grande. Diante disso, este trabalho tem como objetivo discutir os principais riscos e benefícios da administração dos antidepressivos durante o período gestacional. O presente trabalho fundamentou-se em uma revisão bibliográfica, avaliando os principais estudos sobre o tema. Atualmente, os antidepressivos mais utilizados e mais bem estudados são os inibidores seletivos da receptação de serotonina. No entanto, os estudos são controversos, dificultando a interpretação. Concluímos que uma avaliação criteriosa dos riscos e benefícios do tratamento com antidepressivos é de fundamental importância. Nos casos de depressão maior, se faz necessário avaliar se os benefícios do tratamento farmacológico superam os riscos.

Publicado
2018-06-18
Como Citar
DE SANTIS, Érica Caroline et al. Depresão durante a gravidez: riscos e benefícios do tratamento farmacológico. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 32, n. 63, p. 43-56, jun. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/61>. Acesso em: 12 ago. 2022.
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##