Criopreservação de sementes de orquídeas epífitas brasileiras em nitrogênio líquido

  • Gianne Caroline Guidoni Stulzer Centro Universitário Filadélfia- (UniFil)
  • Christina da Silva Wanderley Centro Universitário Filadélfia- (UniFil)
  • Ana Beatriz Prenzier Suzuki Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Ricardo Tadeu de Faria Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Rodrigo Thibes Hoshino Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Resumo

As orquídeas compõem o grupo mais reconhecido em número de gêneros dentro das Angiospermas, porém o grande número de indivíduos não as torna menos sensíveis ao risco de extinção. A criopreservação vem sendo utilizada como método eficaz para a conservação de material biológico vegetal. O objetivo do trabalho foi avaliar soluções vitrificantes na criopreservação de sementes de Cattleya forbesii e Cattleya walkeriana. Sementes dessas duas espécies foram submetidas ao teste de tetrazólio para definir a germinação inicial, C. forbesii e C. walkeriana apresentavam 46,23% e 55,77%. Os tratamentos consistiram na imersão de 10 mg de sementes em diferentes soluções crioprotetoras: T1 - sem solução; T2 – PVS1- (10 min 0 Cº); T3 – PVS2 (10 min 0 Cº); T4 – PVS3 (10 min 0 Cº). Após o tratamento, armazenou-se as sementes em nitrogênio líquido por 30 dias. A viabilidade foi reavaliada por teste de tetrazólio, em C. forbesii os resultados foram: T1 - 45,55%; T2 – 47,79%; T3 – 52,68%; T4 – 38,08%; e para C. walkeriana os resultados foram: T1 – 50,96%; T2 – 51,09%; T3 – 66,33%; T4 – 55,79%. As soluções vitrificantes denominadas PVS demostraram capacidade de manter ou até melhorar a viabilidade das sementes, sendo a solução
PVS2 capaz de quebrar a dormência das sementes das duas espécies. O uso das soluções PVS1 e PVS3 mantiveram a viabilidade inicial das duas espécies estudadas, embora não diferiram das sementes que não utilizaram nenhuma solução crioprotetora, e desta forma podem ser utilizadas em protocolos de criopreservação para as duas espécies estudadas.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Eng. Agrônoma, formada pelo Centro Universitário Filadélfia (UniFil), Londrina – Pr. E-mail:
g.caroline.stulzer@gmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Engª. Agrônoma, docente no curso de graduação e pós-graduação em Agronomia da UniFil,
Londrina – Pr.

##submission.authorWithAffiliation##

Engª. Agrônoma, MSc Doutoranda (Fitotecnia) Departamento Agronomia - Universidade Estadual de
Londrina (UEL), Londrina - Pr.

##submission.authorWithAffiliation##

Eng. Agrônomo, Dr. Docente no Departamento de Fitotecnia, Centro de Ciências Agrárias - UEL,
Londrina - Pr.

##submission.authorWithAffiliation##

Eng. Agrônomo, MSc Doutorando (Fitotecnia) Departamento Agronomia - UEL, Londrina - Pr.

Publicado
2018-09-17
Como Citar
STULZER, Gianne Caroline Guidoni et al. Criopreservação de sementes de orquídeas epífitas brasileiras em nitrogênio líquido. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 34, n. esp., p. 128-139, set. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/529>. Acesso em: 03 jul. 2020.
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##