Desenvolvimento e assimilação de nutrientes de milho inoculado com Azospirillum brasilense e diferentes doses de nitrogênio e fósforo

  • Leonardo Rodrigo Parra Mendes Santos Centro Universitário Filadélfia (UniFil)
  • Higo Forlan Amaral Centro Universitário Filadélfia (UniFil)
  • Maria Paula Nunes Universidade Estadual de Londrina - UEL

Resumo

Há mais de uma década a inoculação de Azospirillum brasilense é recomendação agronômica para a cultura do milho, havendo possibilidade de reduzir de 30 a 40% da adubação nitrogenada (N). Além do suprimento de N, esta bactéria auxilia na promoção de crescimento vegetal e na absorção e fixação de outros nutrientes. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento vegetal e absorção de nutrientes pela cultura do milho inoculados por A. brasilense em diferentes dosagens de fósforo (P) e nitrogênio (N). O experimento foi conduzido em casa de vegetação, em Latossolo
Vermelho distroférrico em Delineamento inteiramente casualizado (DIC) em esquema fatorial 2 x 4 com cinco repetições, sendo duas doses de N (100% e 70% do recomendado de 360 kg ha-1 de N) e quatro de P (100%, 80%, 60% e 40% de 300 kg. ha-1 de P). As plantas foram conduzidas até a sexta (62 dias após a semeadura) folha verdadeira, foram coletadas e aferidos, o diâmetro de colmo (DC), altura de plantas (AP), massa fresca (MFA) e seca (MSA) da parte aérea e raiz (MFR) e (MSR), comprimento de raiz (CR), e de área foliar (IAF). Os dados foram submetidos a
ANOVA e teste Scott-Knott em 5% e Análise de Componente Principais (ACP). Segundo o teste F da ANOVA foram significativos para o fator 1 (N) IAF, CR e Kaéreo; já para fator 2 foram significativos IAF, MFR e K-aéreo e para a interação dos fatores foi significativo N-aéreo e K-aéreo. As variáveis que mais se correlacionaram positivamente no 1º componente da ACP, foram MFA, MSA, MFR, MSR, já negativamente N-aéreo. Já no 2º componente da ACP, CR, AP, IAF (positivamente) e N-, P- e K-aéreo negativamente. Foi possível estabelecer agrupamentos distintos pela ACP em destaque para os tratamentos 70N100P e 70N80P e 100N40P. Evidencia-se que há possibilidade de novas recomendações do A. brasilense para redução da dosagem de P, o tratamento 70N40P demonstrou-se maior MSR, DC, IAF e AP, assim como expressivo aumento de absorção de nutrientes. Considera-se, portanto, boas perspectivas em modular novas recomendações de adubação de N e P para a cultura de milho inoculados com A. brasilense.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Discente do curso de Agronomia do Centro Universitário Filadélfia (UniFil), Londrina, PR

##submission.authorWithAffiliation##

Docente, Dr., do curso de Agronomia do Centro Universitário Filadélfia (UniFil), Londrina, PR. Email:
higo.amaral@unifil.br.

##submission.authorWithAffiliation##

Docente, Drª graduação em Agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Pr.

Publicado
2018-09-17
Como Citar
SANTOS, Leonardo Rodrigo Parra Mendes; AMARAL, Higo Forlan; NUNES, Maria Paula. Desenvolvimento e assimilação de nutrientes de milho inoculado com Azospirillum brasilense e diferentes doses de nitrogênio e fósforo. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 34, n. esp., p. 140-159, set. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/522>. Acesso em: 29 out. 2020.
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##