Trabalho exploratório: o Brasil não esquece e a questão permanece

  • Agnaldo Kupper

Resumo

As relações de trabalho no Brasil inserem-se nas relações do país com as suas questões históricas e, portanto, com sua condição de dependência a nível internacional.Onze gerações separam o fim da escravidão e o início do trabalho moderno no âmbito do capitalismo brasileiro. Analisando todo esse período, a questão não se apresenta de forma animadora, embora tenhamos deixado de ser um grande latifúndio produtor de recursos primários para estarmos situados entre os dez principais países produtores industriais. Falta ao Brasil uma plena regulamentação nas relações do trabalho, o que permite fazer sobreviver, em pleno século XXI, o trabalho escravo, fruto de uma incorporação social pífia e excludente.

##submission.authorBiography##

Agnaldo Kupper

Professor de ensino superior, médio e de pré-vestibulares; autor de livros didáticos e paradidáticos; historiador; doutorando

Publicado
2018-09-03
Como Citar
KUPPER, Agnaldo. Trabalho exploratório: o Brasil não esquece e a questão permanece. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 23, n. 45, p. 56-66, set. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/401>. Acesso em: 08 fev. 2023.
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>