A importância da conservação de lepidópteras para os processos ecológicos

  • Luana Elizabeth Pinheiro Antunes Prado Faculdade de Apucarana (FAP)
  • Luciana Zukovski Faculdade de Apucarana (FAP)

Resumo

Os lepidópteros compõem a segunda maior ordem dos hexápodes, com aproximadamente 120.000 espécies descritas em todo o mundo. Para o Brasil são descritas aproximadamente 3.288 espécies de lepidópteras, distribuídas em seis famílias, tendo maior proporção de espécies a família Nymphalidae. A rica diversidade de lepidópteras brasileiras pode ser relacionada devido à ampla diversidade de ecossistemas, fisionomias vegetais, topografia, condições climáticas. Entretanto, a degradação em todos os biomas brasileiros, devido à perda da cobertura vegetal por ações antrópicas, acarretam em sérias consequências da diversidade de lepidópteras, tais como perda de espécies com hábitos específicos, diminuição de recursos alimentares, e entre outros acarretando em mudanças na composição e estrutura das comunidades, comprometendo todo o equilíbrio ecológico. Portanto, a perda da cobertura vegetal, alterações climáticas, fragmentação e entre outras alterações no ambiente, refletem na diminuição de recursos essenciais para a sobrevivência e permanência de muitas espécies. Muitas espécies de lepidópteros são comumente utilizadas como indicadores de qualidade e ambiental, por serem capazes de responder de maneira rápida a qualquer alteração no habitat. Atuam como importantes ferramentas para delimitar áreas prioritárias de conservação e preservação ambiental.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Graduanda do curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Apucarana.

##submission.authorWithAffiliation##

Docente de Ciências Biológicas da Faculdade de Apucarana

Publicado
2018-07-31
Como Citar
PRADO, Luana Elizabeth Pinheiro Antunes; ZUKOVSKI, Luciana. A importância da conservação de lepidópteras para os processos ecológicos. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 27, n. 52, p. 69-80, jul. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/244>. Acesso em: 04 mar. 2021.
Seção
Artigos