Totalitarismo e literatura: a distopia de george orwell em 1984. Londrina, 2010.

  • Luana Rafaela de Alcantara Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Rogério Ivano Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Resumo

O presente trabalho pretende demonstrar discussões existentes entre totalitarismo e representação literária, neste caso o romance de George Orwell, 1984. Com base nos estudos de Hannah Arendt sobre o tema, a análise decorre chegando-se a conclusão de que o autor estava movido por preceitos ideológicos arraigados, por suas experiências pessoais no pós-Segunda Guerra Mundial, e no eminente estado de Guerra Fria que decorreria em seguida.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Graduada em licenciatura plena em história pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) 2010

##submission.authorWithAffiliation##

Prof°. Dr. Rogério Ivano graduado em História pela Universidade Estadual de Londrina (1993), mestrado (2000) e doutorado (2005) em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Londrina. Tem experiência na área de História, com ênfase em Teoria da História, atuando principalmente nos seguintes temas: historiografia, teoria, literatura e cultura.

Publicado
2018-07-31
Como Citar
DE ALCANTARA, Luana Rafaela; IVANO, Rogério. Totalitarismo e literatura: a distopia de george orwell em 1984. Londrina, 2010.. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 27, n. 53, p. 113-128, jul. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/234>. Acesso em: 24 fev. 2021.
Seção
Artigos