Os encontros grupais na perspectiva psicanalítica: vivências no CAPS infantil

  • Érica Cristina Pereira
  • Flávia Berehulka Muller
  • Suzana Jaqueline Cordeiro

Resumo

O presente artigo trata da questão da Saúde Mental para o público infanto-juvenil e suas implicações. Em estágio de campo no CAPS infantil foi constatado que a modalidade grupal de atendimento, a postura dos técnicos e a medicalização são recursos terapêuticos que necessitam de um viés crítico, prescindindo de um reposicionamento dos técnicos para que seu efeito seja eficaz. A discussão é embasada na fundamentação teórica à respeito da teoria de grupo na abordagem psicanalítica e nas diretrizes federais para a atuação no CAPS Infantil. Problematiza ainda os sintomas do público como uma causa das questões familiares e aborda a medicalização como um item a ser criticado.

Biografia do Autor

Érica Cristina Pereira

Prof. MS

Flávia Berehulka Muller

Psicóloga

Suzana Jaqueline Cordeiro

Psicóloga

Publicado
2020-10-07
Como Citar
Pereira, ., Muller, F., & Cordeiro, S. (2020). Os encontros grupais na perspectiva psicanalítica: vivências no CAPS infantil. Revista Terra & Cultura: Cadernos De Ensino E Pesquisa, 34(66), 104-117. Recuperado de http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/1383/1311
Seção
Artigos