Rupturas e conciliações na história do Brasil: uma pequena reflexão sobre o papel do historiador

  • Agnaldo Kupper

Resumo

O papel do historiador é o de sempre rever-se, como à própria História. Cabe ao historiador levantar problemas e desvendar os processos reais, questionando suas subjetividades e suas mutilações no processo de pesquisa, na busca de conclusões críticas e suficientes, bem como identificar rupturas e continuidades.

##submission.authorBiography##

Agnaldo Kupper

Docente da UniFil. Historiador, escritor e professor de ensino médio e superior em Londrina. Mestre em História. Doutorando em História. Autor de ‘Colônia Cecília, uma experiência anarquista’ (FTD); coautor de ‘História crítica do Brasil’ (FTD); ‘O navegante negro e a chibata’ (FTD), e ‘Malês: sangue em Salvador’ (Papel Virtual). E-mail: ateneucp@uol.com.br

Publicado
2020-04-02
Como Citar
KUPPER, Agnaldo. Rupturas e conciliações na história do Brasil: uma pequena reflexão sobre o papel do historiador. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 19, n. 37, p. 16-27, abr. 2020. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/1341>. Acesso em: 14 abr. 2024.
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 3 > >>