Caindo na rede

benefícios e perdas

  • Agnaldo Kupper

Resumo

Ao nascermos, encontramos os valores estabelecidos e absorvemos a língua, os padrões culinários, as brincadeiras e até mesmo as manifestações de emoção. Nos dias contemporâneos, idéias, sentimentos, opiniões e fatos são compartilhados por milhares e milhões de indivíduos graças a alguns meios de comunicação como o telefone, o rádio, o cinema, a televisão e, principalmente, a internet. Uma das principais características das redes sociais é sua abertura, permitindo o contato horizontal entre os participantes, ou seja, sem diferenças ou estratificação social, porém com elevado grau de identidade. Outra de suas características é seu caráter efêmero, ou seja, as relações estabelecidas nas redes sociais podem ser passageiras e eventuais, não estabelecendo vínculos diretos e contínuos entre os envolvidos. Mas até que ponto isto nos tem sido positivo? Para alguns especialistas e teóricos em geral, a inserção de indivíduos nas tecnologias digitais é fundamental para a manutenção e expansão do sistema democrático. Para os mais pessimistas, tal inserção é ruim devido ao seu caráter consumista e industrial, porém a fixação pelo uso das redes sociais pode gerar dependência pessoal, trazendo à tona problemas que extrapolem a capacidade crítica humana.

##submission.authorBiography##

Agnaldo Kupper

Mestre na área de História e Sociedade e doutorando na área de Política e Representações; professor de cursos de graduação e pós-graduação; autor de livros didáticos e paradidáticos.

Publicado
2018-07-17
Como Citar
KUPPER, Agnaldo. Caindo na rede. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, [S.l.], v. 31, n. 61, p. 141-156, jul. 2018. ISSN 2596-2809. Disponível em: <http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/124>. Acesso em: 27 nov. 2020.
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>